SouJava

Sociedade de Usuários da Tecnologia Java

Monthly Archives: Fevereiro 2020

SouJava, comunidades Java e o que você tem a ver com isso?

Você é programador ou desenvolve em Java? Se sim, certamente você entende que a nossa área tem sido privilegiada em meio à crise de outras profissões nos últimos anos. É óbvio que todo esse aquecimento do mercado não tem só lados positivos. A área exige muito de nós, como uma atualização constante, rotina de estudos, empenho e, claro, a cobrança tem sido cada vez maior. Tudo isso, eu aposto, você já sabe.

Agora vem a parte boa!

Daí entra um outro ponto, que entendo como um grande diferencial da nossa área: as comunidades.

Tem um monte de comunidades surgindo, permitindo que profissionais evoluam cada vez mais. O intuito deste artigo não é falar dos problemas envolvendo comunidades e, claro, também não estou aqui para romantizar, não! Minha intenção é mostrar que esse caminho ajuda muitos profissionais, em diferentes níveis e perspectivas. 

Se você está na capital de São Paulo, sabe que o que não faltam são eventos, workshops, projetos de formação gratuitos. Mas será que é assim em todo o Brasil?

Os grandes centros ainda são (muito) beneficiados nestes aspectos. Como você, que mora em regiões um pouco distantes desse polo, pode participar disso?!

Existem muitas formas de você ajudar, ter acesso e participar do movimento. Vou exemplificar falando especialmente da comunidade SOUJAVA, que é uma das maiores e mais antigas comunidades do Mundo.

Primeiro de tudo o que é o SOUJAVA?

Um belo dia, eu descobri as comunidades, o SOUJAVA e um “JavaMan”…

Vamos de contexto? O site do SOUJAVA descreve:

“O SouJava é um grupo de usuários, formado por desenvolvedores e evangelistas da tecnologia Java no Brasil, e tem como objetivo fortalecer, expandir e profissionalizar o uso de Java no país. O SouJava é um dos mais ativos e importantes grupos de usuários do mundo, e realiza diversas atividades no Brasil, e ajuda na organização do movimento Java mundial. O SouJava mantém reuniões presenciais, eventos e uma presença online, ajudando a comunidade Java brasileira a aplicar a tecnologia Java em projetos reais.”

Além de comunidade, o SouJava é uma ONG, ou seja, existe uma responsabilidade um pouco maior em algumas questões, principalmente legais. Que saber mais sobre a história do SOUJAVA? Recomendo muito que você veja este projeto https://github.com/soujava/historia 🙂

Além disso, o Github do SouJava é uma ótima fonte de aprendizado! Já deu uma olhada? Tem muitaaaa coisa legal lá e segura a chuva de links e referências:

E o que é um JUG?

A comunidade adota o nome “JUG” para identificar os grupos de usuários Java. Então, quer criar um grupo local? Por exemplo: Você mora em Brasília, mas não sabe se já tem um grupo de usuários Java aí? Então você pode verificar em https://community.oracle.com/community/usergroups, pode ser que o grupo já exista! Aí vale super a pena ativar o grupo ao invés de criar um novo, pra que reinventar a roda, né?

Agora… se não tem, crie um novo grupo e reúna a galera. Se está inseguro e quer dicas, procure quem já faz parte de algum grupo de usuários Java 😉

Na sua região já existe um grupo ativo, que sempre se reúne e você quer ajudar? Procure quem organiza: sempre tem espaço para mais pessoas, seja organizando encontros presenciais, contribuindo com o compartilhamento de conhecimento dentro do grupo ou até mesmo montando um grupo de estudos. Eu costumo dizer que para isso basta só ter força de vontade!

Como ajudar de outras formas?

Você certamente já precisou ler a documentação de algum framework ou biblioteca para saber como utilizar em seus projetos. Aposto que alguns nem eram tão bons assim, certo? E… que tal se você ajudasse a melhorar uma documentação? Sabe aquele projeto que não tem uma documentação para chamar de sua?! Você pode construir esse material, que tal!? 

Ao assumir o papel de criar a documentação você pode ajudar uma infinidade de pessoas de uma vez só! Além disso, você se ajuda, porque a experiência adquirida neste processo é muito valiosa! Acredite em mim.

Não sabe em qual projeto poderia contribuir? Tem muitos! E, na dúvida, chame algumas pessoas do SouJava para que elas te orientem e te indiquem um projeto que esteja precisando de uma força ou, também, como você pode melhorar uma documentação já existente.

Ainda há muito o que contribuir…

Já sei: você não curte documentar, mas adora colocar a mão na massa. Que tal formatar uma palestra, uma live ou um workshop sobre a parte prática de alguma implementação em Java? Pensa só, quantas vezes vídeos ou palestras nos ajudam a entender melhor uma tecnologia ou implementação de código?

Programador gosta mesmo é de programar né? Então, os projetos open source são ótimas opções para você estudar, aprender e evoluir tecnicamente! E lembre-se: não sabe em qual projeto atuar? Procure os membros do SouJava, pergunte no Slack ou nas páginas da comunidade! Esse espaço é nosso.

Momento:  como eu faço?

Dicas de quais caminhos você pode seguir para evoluir em Java e ainda ajudar a comunidade!

“Quero fazer live, workshop ou palestrar no SOUJAVA sobre algum assunto relacionado a Java. Como eu faço?”

Agora você deixou fácil… preencha este formulário e boa sorte:

“Quero participar de algum projeto Open Source de Java. Como eu faço?”

Primeiro, veja qual é o tipo de projeto que você gostaria de contribuir e procure alguém da comunidade que já tem contato com projetos Open Source. Eu indico fortemente o Otavio Santana (https://www.linkedin.com/in/otaviojava/), por exemplo.

“Quero criar ou melhorar alguma documentação de projetos Java. Como eu faço para começar?”

Sugiro você falar com quem já faz isso, como por exemplo o https://www.linkedin.com/in/danieldiasjava/ e o https://twitter.com/marcoferreira44

Bons códigos para nós!

E você, vai começar a contribuir quando?!

SouJava no Global JUG Leaders Summit @Devnexus

Fala, pessoal!

Que o Devnexus é um dos melhores e maiores eventos que existem, muitos já sabem. Se não é o seu caso, dê uma conferida! Vale a pena.

E esse ano eles deram um passo que elevou o evento às alturas: decidiram realizar o que chamaram de “Global JUG Leaders Summit”.

Basicamente eles convidaram JUG leaders de todo o mundo para um encontro ao estilo “unconference”. Até onde se pôde verificar no início da reunião, a última vez que um encontro desse tipo foi realizado foi na época da Sun… Faz um tempinho!

Cerca de 80 participantes estavam presentes, e desde já posso adiantar: foi um aprendizado e tanto!

Imagine só: diferentes culturas, diferentes origens, diferentes localidades… mesmo para JUGs dentro de um mesmo país, as experiências são, frequentemente, muito diferentes. Essa troca de vivência tornou o evento muito rico.

Como a reunião seguiu mais ou menos o estilo de unconference, foram sugeridos vários tópicos para discussão e os mais votados foram trabalhados ao longo do dia.

Não vou entrar em cada um deles aqui porque ficaria muito longo, então vou destacar um em particular que interessa muito ao SouJava: Attendance Sustainability. Basicamente, trocamos experiências sobre práticas que ajudam (ou atrapalham) a manter um bom nível de participação nos encontros realizados pelo grupo.

Essa é a imagem do resultado final da discussão:

IMG_2315

Resumindos os pontos:

  • Engajar empresas: falou-se sobre o envolvimento das empresas no JUG, indo além da cessão de espaço e patrocínio de comida/brindes, mas sim ir até os times das empresas, chamar palestrantes deles, etc;
  • Fácil transporte ao local: todos os grupos relataram aumento de participação nos encontros onde o local seja de fácil acesso (tanto para transporte público quanto para privado)
  • Eventos mais longos: vários JUG reportaram que as reuniões um pouco mais longas (2 a 3 horas) geram resultados melhores do que as curtas (menos de 1h30). Eles reportam que as reunião maiores geralmente tem ao menos 2 palestras, e ainda algum momento para networking (=comida!), o que acabam entregando mais valor aos participantes;
  • Patrocínio: há algumas experiências diferentes com patrocínio em diversos JUGs
    • Há JUGs que conseguem patrocínio apenas para comidas/bebidas para as reuniões
    • Há JUGs que vendem cotas de patrocínio para empresas, válidas por um ano
    • Há JUGs que cobram anuidade dos seus membros
    • Há JUGs que não cobram absolutamente nada de ninguém

E foi interessante perceber que há JUGs muito bem sucedidos em todos os cenários! Então é realmente uma questão de analisar caso a caso.

  • Palestrantes de alto nível: em geral (e parece óbvio!), as reuniões com palestrantes de alto nível atraem mais pessoas. Mas todos concordaram também que os JUGs são lugares ideiais para formação de novos palestrantes.
  • Consistência: falou-se muito consistência. Todos os grupos que mantém consistência de realização de seus encontros perceberam significativo aumento na participação de pessoas em seus encontros. Um ponto interessante é que vários grupos bem sucedidos relataram que mantém consistência em níveis como “dia do mês” (ex: segunda terça-feira de todos os meses) e local de realização (ex: sempre no auditório X). Esse último foi especialmente interessante, já que alguns JUGs relataram que quando eles mudam os locais dos encontros, o engajamento cai.
  • Registro para o evento: todos os JUGs usam alguma forma de registro prévio para o evento;
  • Estacionamento: lugares que possuem facilidade para estacionamento, ou mesmo estacionamento gratuito, tendem a ter maior presença de participantes;
  • Time/liderança forte: os maiores JUGS relatam que seus resultados melhoraram consideravelmente quando eles formaram um time de liderança forte e comprometida;
  • Diversidade: esse tópico foi citado nessa discussão, mas ele já havia sido longamente discutido em outro momento como esse;
  • Traga seu amigo: alguns JUGS incentivam que na próxima reunião você volte e traga um amigo, e com isso conseguem ir tornando o grupo mais conhecido (pouco a pouco);
  • Network com palestrantes: foi conversado que normalmente é muito fácil se conectar com um palestrante em uma reunião de JUG do que em uma conferência. Então, trazer palestrantes de outras conferências para falar no JUG local é uma prática muito interessante;
  • Palestras técnicas: não há duvidas; pitch de vendas não vai bem em encontros técnicos. Focar no técnico, na solução de problemas do dia a dia, é uma ótima prática;
  • Engajamento com Java Champions: muitos JUGs tem um ou vários Java Champions em seu board. Outros não tem nenhum. Mas todos concordaram que algum tipo de engajamento com um ou mais Java Champions cria um interesse ainda maior do JUG, já que o Java Champion traz consigo a credibilidade do título.

E assim eu deixo aqui algumas coisas para você pensar: lendo essa lista acima, o que você pode mudar em seu próprio JUG para aumentar a presença de participantes nele? Quais itens fazem sentido para a realidade do seu grupo? Em quanto tempo você imagina que determinada prática pode trazer resultados reais para o seu grupo?

Se quiser deixar nos comentários abaixo, será muito bem-vindo!